Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

O mar, o porto, o livro e o autor Damião Ramos Cavalcanti

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

A vida moldou em Fernando Aquino Freire um conjunto de ideias, competência, habilidades, estilo ou uma sóbria maneira de ver, julgar e, assim, escrever a realidade com facilidade e beleza. Tudo começou quando sua mãe Iolanda levou o seu berço, aos seus dois anos, da Capital ao então distrito de Cabedelo; comparando-se os tamanhos dos lugares, é como se fosse transferir a morada do mar para o porto. Roland Barthes, em Crítica e Verdade, ao se perguntar quem escreve, responde "que a palavra é um poder e que entre a corporação e a classe social, um grupo de homens se define razoavelmente bem pelo seguinte: ele detém, em diversos graus, a linguagem da nação". A nação de Fernando Freire é sua vida em João Pessoa, Itabaiana e, sobretudo, em Cabedelo, lugar que ele adotou como sendo cidade da sua origem. Também, enquanto bancário, o autor percorreu o país do sul ao norte, informatizando as agências do histórico Banco do Brasil. Como ele próprio se diz passageiro, memorizou esses caminhos e agora resgata valores e costumes dessas cidades: "Em João Pessoa, inocente: Perdido nas ruas de sinais verdes; prisioneiro nas esquinas de sinais vermelhos. Veículos como carros e carros de guerra, convidando-me à paz de armas baixadas; no final do pesadelo, bandeiras hasteadas; choros , sorrisos e lágrimas. Em Cabedelo, irreverente: Nas sãs arruaças da praça, nas ruínas da Fortaleza, nas areias da praia; na corrente do rio, nos frios navios, nos cais do porto, porta de vai e vem de riquezas alheias e da caça à baleia; na estação de trem, vagões cheios de gente humilde, vazios de outros bens; no Grupo Escolar Pedro Américo, onde riscou na pedra as primeiras letras; no Colégio Imaculada Conceição, onde o discípulo se fez voluntário mestre; no telégrafo da ferrovia - onde foi, sem salário, aprendiz, depois escriturário" (...) E assim ele finaliza seu perfil: "Nomeado bancário, quando se viam nas ruas sinais verdes de odiento levante, mandou-se para as terras de Sivuca, onde aprendeu letras musicais, e mais: Abelardo, Jurema, José Lins do Rego, Damião Ramos Cavalcanti e tantos mais intelectuais de renome, que me convidaram a cantar das primeiras sílabas do bê-á-bá à literatura do Engenho Corredor de Pilar". Verifiquei que falou sobre as cidades onde mais vivi e que tanto amei, falou de mim, tornou-se amigo; precisaria mais o que? Então comecei a me encontrar, procurando-me na sua palavra, na sua linguagem, com outras ressonâncias; uma delas foi a de encontrá-lo, um Fernando filho de ferroviário e de lavadeira; de irmãs costureiras, portuário, pescador, telegrafista, professor e bancário, e, enfim, até modestamente chamando-se de "escrevinhador". Não, nas suas palavras há muito sentimento e, consequentemente, merecimento em seus poemas e em suas crônicas; ainda usando as definições de Barthes, ele assume todos os graus, de "escrevente", de "escritor".
Por onde passou, as circunstâncias formaram sua identidade: Um homem sensível, justo, paciente, mas revoltado diante de tantas injustiças acometidas contra nosso povo, contra sua gente; bondoso, ao ser sovina em economizar um tijolo, uma telha para, acometido pela generosidade, doar uma casa... Como em todos nós, alguns poucos e efêmeros defeitos demonstrou, mas observa-se, nos seus escritos e na sua fala, amadurecimento; com os anos, aparecem ressonâncias do que aprendeu com a vida, como é o caso de ter recebido também energia da força literária; sim, a literatura tem muitas funções e uma delas é ressonar, ressoar os que os outros tem e são de bom em comparação com as nossas possíveis benéficas semelhanças... É o que li neste livro em que ele me dá a honra de prefaciá-lo e no qual tudo isso se observa. Altimar Pimentel me ensinou existirem muitos valores culturais na nossa cidade portuária: Ciranda, Nau Catarineta, Lapinha, Pastoril, Coco de Roda, enfim, rico folclore e religiosidade pregada pelos sermões e catecismo do Padre Alfredo; tudo isso Fernando relembra como se estivesse ainda com isso convivendo. Nessa cidade, no meio da sua gente, dentro do povo se movimentando, dançando, cantando, o autor caminha como fosse uma câmara cinematográfica, recordando seus primeiros passos de criança, jovem e adulto, tendo sua vida como roteiro e escolhendo, com a ajuda da claquete, cenas bem encadeadas com lógica e arte. O autor nos induz à ideia de que o mito é como uma sereia negra, mas tem cauda prateada, numa adversativa que, sociologicamente, solta recriminações às discriminações sociais à pele brasileira. E continua que, também, a cidade, onde existem graças e desgraças, cantadas e recitadas pelos poetas, é abençoada pelos céus.
O ir e vir entre as cidades se fazia pelas estradas, pelo rio, pelo mar e até pelo ar, onde e quando Fernando também compreendeu as andanças da pobreza dentro desses transportes; do personagem "seu Marinho, homem solitário, que vivia em piores situações". Tanto o apito do trem, como suas rodas nos trilhos, na sequência dos dormentes, estão simbolicamente presentes apresentando nas figuras dos passageiros, as injustiças sociais, enquanto consequências das violências materiais e simbólicas, existentes em qualquer cais, em qualquer porto. De tudo isso, observam-se grandezas, como o menino Leo admirando Dona Joaquina, "mulher forte e de coração brilhante que ajudava os que lhe estendiam a mão". Percebe-se, na alma do escritor, usar outro nome e outros nomes para seus familiares e amigos, transferindo-se, ele próprio, às páginas do seu livro "Em Cabedelo, numa casquinha de noz", em que escreve sua linguagem poética, como refletisse sentado na areia, à beira mar, deixando-se sujar pela areia e molhar-se pelas ondas: "O mar sereno é uma beleza ilusória; o tom maior de sua formosura são a força e a bravura que ele oculta". Seu livro é uma bem construída obra, sobretudo, saliento, de e sobre si mesmo; mesmo considerando o verso de outro poeta com igual nome, Fernando Pessoa, in Cancioneiro: " Dizem que finjo ou minto/ Tudo que escrevo./ Não./ Eu simplesmente sinto/ Com a imaginação./ Não uso o coração./ Tudo o que sonho ou passo,/ O que me falha ou finda,/ É como que um terraço/ Sobre outra coisa ainda./ Essa coisa é que é linda./ Por isso escrevo em meio/ Do que não está ao pé,/ Livre do meu enleio,/ Sério do que não é,/ Sentir, sinta quem lê! ".

Damião Ramos Cavalcanti

Add comment


Security code
Refresh

Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Os miseráveis
11 Ago 2018 19:30Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Os miseráveis

A Academia Paraibana de Letras apresenta o em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "Os miseráveis" com comentários de Carlos Aranha. Direção: Bille August 30 de ago [ ... ]

Leia Mais
As Festas das Neves de outrora
05 Ago 2018 16:29

A primeira “festa das neves” que vi, em minha vida, foi em Pilar. Sem rodas gigantes, com carrossel empurrado pelo dono e duas dezenas de cadeirinhas que giravam em torno de um jovem sanfoneiro. [ ... ]

Leia Mais
Políticos mentem ou não são sinceros?
30 Jul 2018 16:28

Na “Aula Espetáculo”, em 10 de janeiro de 2013, promovida pela Academia Paraibana de Letras e a Procuradoria Geral do Estado, ocasião em que Ariano Suassuna recebeu a Medalha José A [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Frida
26 Jul 2018 17:42Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Frida

A Academia Paraibana de Letras apresenta o em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "Frida" com comentários de Wills Leal. Direção: Julie Taymor 26 de julho (última  [ ... ]

Leia Mais
O amor e a tampa da cuscuzeira
22 Jul 2018 16:27

São conjuntivos que não se casam, por isso, difícil é compreender a relação entre o amor e a tampa da cuscuzeira ou do cuscuzeiro. Quanto ao amor, tudo começou quando eles se viram pela pr [ ... ]

Leia Mais
E a Copa se vai...
16 Jul 2018 16:25

Há gente que sentirá a falta desse acontecimento esportivo, que vem ocorrendo, de quatro em quatro anos, sem interrupção, já fazendo parte de muitas futuras agendas. Já ouvi palpites para qu [ ... ]

Leia Mais
Ganhar perdendo
06 Jul 2018 13:39

Nesses dias que passaram, milhares de pessoas se encontraram nessa peleja: torcendo, de corpo e alma, para que o Brasil vencesse a Copa. Há uns vigilantes que sofriam porque, qual fosse o  [ ... ]

Leia Mais
Neymar, simulação ou dissimulação?
29 Jun 2018 13:38

A simulação e a dissimulação acontecem toda hora, são atitudes corriqueiras, sem que seus protagonistas ou suas vítimas averiguem essas palavras ou as pronunciem quando elas são pra [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: O amor e outro...
27 Jun 2018 20:25Cineclube Verbo & Imagem apresenta: O amor e outros demônios

A Academia Paraibana de Letras apresenta o em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "O amor e outros demônios" com comentários de Wills Leal. Direção: Hilda Hidalgo  [ ... ]

Leia Mais
Os matutos filosofam
22 Jun 2018 13:36

Nada melhor do que escutar conversa, à boquinha da noite, iluminados pela fogueira, num terreiro da choupana de um lavrador. Nessas circunstâncias, os matutos se soltam, dizem o que querem, e escuta [ ... ]

Leia Mais
Copa Mundi ou Copa do Mundo?
15 Jun 2018 13:33

Não importa, pode ser em latim, em português ou em qualquer idioma. Só sei que essa invenção inglesa se tornou mais do que brasileira; realizada em qualquer lugar. Quanto ao tempo, tem sido ca [ ... ]

Leia Mais
Casas com, mas, sem número
11 Jun 2018 13:31

O carteiro que não decorar onde se situam as casas da Av. Argemiro de Figueiredo não as encontra. Precisa memorizá-las pelo muro, tamanho, cor, plantas, esquina ou talvez “a trezentos metros ap [ ... ]

Leia Mais
III SEL
08 Jun 2018 10:33III SEL

A Academia Paraibana de Letras vem realizando, anualmente, desde 2016, os Seminários de Estudos Literários – SEL, nos quais são estudadas e discutidas a vida e a obra de autores paraibanos da mai [ ... ]

Leia Mais
Mudanças que não mudam
04 Jun 2018 13:28

Viver é necessariamente mudar, mesmo se você não for o agente protagonista da mudança, haverá de agir adaptando-se às novas situações, sobretudo quando sucedem aquelas que mais parecem com  [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Meia Noite em ...
30 Mai 2018 01:23

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá Meia Noite em Paris com comentários de Wills Leal. Direção: Woody Allen 31 de Maio (úl [ ... ]

Leia Mais
Sessão Solene de Homenagem ao escritor e acadêmic...
27 Mai 2018 14:44 Sessão Solene de Homenagem ao escritor e acadêmico Ivan Bichara Sobreira

O Conselho Diretor e os sócios efetivos da APL convidam V. Exa. E família para a Sessão Solene de Homenagem ao escritor e acadêmico Ivan Bichara Sobreira pelo transcurso do centenário de seu n [ ... ]

Leia Mais
Um Rômulo sem Remo
19 Mai 2018 13:25

Há sete dias, falam as entrevistas, reconfirmam as notícias e dizem as crônicas que “a Paraíba perdeu um grande homem”. Logo se conclui que não se referem à sua estatura física; compreend [ ... ]

Leia Mais
Ivan Bichara Sobreira
16 Mai 2018 13:22

O “Antes que me esqueça”, de José Américo, serve a quem não quer perder a memória dos seus valiosos acontecimentos, fatos, ocorrências ou preciosas circunstâncias da vida e dos vultos e [ ... ]

Leia Mais
Sabugo, quase um sabugo
09 Mai 2018 13:20

Um sabugo é apenas uma espiga de milho nua e sem grãos. Se muitos, coisa, lixo para os adultos; aos meninos já crescidos, sinal das festas juninas. Mas para as crianças de então, um precioso [ ... ]

Leia Mais
Marcos Valério, uma saudade que está doendo em mim...
07 Mai 2018 14:49

Confessava-se, transido entre a generosidade e o encorajamento ao outro, leitor contumaz dos inúmeros textos que escrevi e publiquei na imprensa campinense, dos quais dizia gostar sobremaneira, n [ ... ]

Leia Mais
Apresentação do livro "Nas Margens do Açude Velho"...
07 Mai 2018 14:36Apresentação do livro

Apresentando, ontem à noite, no Museu dos Três Pandeiros, nas margens do Açude Velho, o livro ensaios, perfis e (quase) memórias, de autoria do historiador e poeta campinense Bruno Gaudêncio.  [ ... ]

Leia Mais
Vandré retorna ao solo natal
01 Mai 2018 10:44

Geraldo Pedrosa de Araújo Dias, filho de José Vandregíselo e de Maria Martha Pedrosa Dias, é Vandré, um dos nossos conterrâneos, ilustre vulto paraibano. Mesmo distante da sua terra, em o [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Memórias do Cá...
25 Abr 2018 12:50

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "Memórias do Cárcere" com comentários de Fernando Trevas. Direção: Nelson Pereira dos Sa [ ... ]

Leia Mais
Merecidos direitos dos mortos
24 Abr 2018 10:41

Há um ano atrás, no Cemitério Senhor da Boa Sentença, o túmulo dos meus pais foi violado e levaram-lhe a cobertura de granito para se fazer, verificavelmente, tampa de sepultura, na parede l [ ... ]

Leia Mais
Amado rio
19 Abr 2018 10:40

Quem nasce às margens Carrega consigo o rio no peito; Sangue e água, no coração, Ela não se derrama do leito. Damião Ramos Cavalcanti

Leia Mais
Quando inundações são alegrias
17 Abr 2018 10:36

Prefiro a certeza das lembranças à incerteza do que há de acontecer ou as inundações ao meu alcance, à espera de chuva que, com tardança, haverá de cair. Era assim, no meu tempo de menino [ ... ]

Leia Mais
Feliz em achar o Dom José Maria Pires
10 Abr 2018 10:32

Não posso mais entrar numa livraria; posso, mas não devo; não devo porque não posso: se entrar, saio com sacolas cheias de livros e de bolsos vazios. Além disso, enfrentarei discussões em [ ... ]

Leia Mais
A história como eu conto
04 Abr 2018 09:33A história como eu conto

As editoras A Uniao e Forma, a Academia Paraibana de Letras, o Instituto Geográfico Paraibano e Sol das Letras lançam A História como eu conto do escritor Ramalho Leite nesta quinta-feira (05/ab [ ... ]

Leia Mais
Trocar tiros na escola?
01 Abr 2018 06:45

Pouco se preocupou a mídia sobre as recentes e históricas manifestações, nos USA, contra a excessiva fabricação e a deliberada venda de armas, o que traduzo do Le Monde, "mis à jo [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: O Deserto dos ...
26 Mar 2018 13:06

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "O Deserto dos Tártaros" com comentários de Hidelberto Barbosa Filho. Direção: Valerio Zu [ ... ]

Leia Mais
Deserto, dúvida e esperança
25 Mar 2018 06:43

Se tivesse sido o diretor desse filme, eu o intitularia de "a espera" ou de "perseverança", mas o genial Valerio Zurlini se rendeu à fama da obra literária, de Dino Buzzati, preservando sua já  [ ... ]

Leia Mais
Ricardo nos leva ao Kibutz
18 Mar 2018 06:42

Embora de nome estranho ao nosso idioma, 'kibutz' já consta no nosso dicionário: os kibbutzim são fazendas coletivas, em Israel, onde também se demonstra se [ ... ]

Leia Mais
Doenças de pele
11 Mar 2018 06:39

Um presente mal embrulhado perde um pouco do seu valor. E há presente de menor valor do que o do seu embrulho, como o que ganhei, certa vez: um relógio de R$ 7,00, comprado na feira do Paraguai,  [ ... ]

Leia Mais
Visita do prefeito de Itabaiana a APL
06 Mar 2018 14:56Visita do prefeito de Itabaiana a APL

Prefeito do município de Itabaina em reunião com o presidente da APL, academico Abelardo Jurema e acessores

Leia Mais
O caçador de borboletas
06 Mar 2018 14:48

Quem deseja pegar borboletas, geralmente, tem de procurá-las. Raramente elas vêm ao seu encontro, como a que pousou, agora, no meu livro aberto, ao lado da rede. Inerte, eu a admiro, em silê [ ... ]

Leia Mais
Visita do embaixador da índia
27 Fev 2018 09:39Visita do embaixador da índia

Visita do embaixador da índia

Leia Mais
Égua russa no Trapiá dos Severos
20 Fev 2018 21:11

Quando era menino, já via malvadezas de gente grande, piores do que explica o samba: "a maldade dessa gente é uma arte (...)". Presenciei adolescentes incandescendo prego e jogando-o no escuro p [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: M - O vampiro ...
19 Fev 2018 00:01Cineclube Verbo & Imagem apresenta: M - O vampiro de Dusseldorf

A Academia Paraibana de Letras apresenta o em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá "M - O vampiro de Dusseldorf" com comentários de Wills Leal. Direção: Fritz Lang 2 [ ... ]

Leia Mais
Memória às coisas do passado
18 Fev 2018 00:09

Dela pouco precisam o presente e o futuro... As coisas do nosso passado são vastas como o oceano, e quanto mais se viajar no tempo do passado, fatos, coisas e pessoas se tornam um espaço imenso, [ ... ]

Leia Mais
Meninos no bloco, meninotes em bloco
11 Fev 2018 00:06

É bom recordar "os tempos de outrora, dos velhos carnavais que não voltam mais", mesmo se, preferindo os de então aos atuais, recordem-se os medos que sofriam as crianças, espiando, pelas fr [ ... ]

Leia Mais
Nem toda nudez é castigada
06 Fev 2018 17:06

- Olhe ali, disse-me o motorista, duas viaturas, oito soldados, cercando uma mulher pelada. Era quarta-feira, ao claro do dia, na primeira esquina da Avenida Professora Maria Sales; nem sandálias [ ... ]

Leia Mais
A hipótese da pérola vermelha
28 Jan 2018 14:03

Se for formulado um enunciado de que existe uma pérola vermelha nas profundezas do mar, mesmo que se adorne essa hipótese com pormenores descrições, que se diga que tal "pérola vermelha" habita  [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Os Carrascos t...
25 Jan 2018 16:08Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Os Carrascos também morrem

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá Os carrascos também morrem com comentários de Wills Leal. Direção: Fritz Lang 25 de jan [ ... ]

Leia Mais
Contemplai as aves do céu
24 Jan 2018 14:02

As aves de arribação, quando voam em direção ao Norte, arribam ao Norte. São milhares tendo à frente uma delas, com as mesmas cores, com o mesmo canto, com o mesmo desejo e destino; a da  [ ... ]

Leia Mais
Mesmo sujo, o mesmo paletó
15 Jan 2018 14:01

Há coisas que dão na vista e que acontecem tão repetidamente que já ocorrem com a certeza de que nada mudou; como se fosse quem usa sempre a mesma roupa, mesmo quando ela é grã-fina, como [ ... ]

Leia Mais
Que falta faria eu?
11 Jan 2018 19:53

Talvez não seja tarde para se fazer tal pergunta: Caso eu não tivesse nascido ou existido, que falta eu faria? A resposta é fundamental à razão da minha existência. Há até quem e [ ... ]

Leia Mais
Atemporalidades do tempo
31 Dez 2017 16:50

A passagem de ano, neste 31 de dezembro, pode nos causar certa confusão, porque o último dia de 2017 é domingo, o festivo da semana; e, o primeiro de 2018, a segunda-feira, um dos dias úteis [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Feliz Natal
21 Dez 2017 08:50Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Feliz Natal

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá Feliz Natal com comentários de José Nunes da Costa. Direção: Christian Carion 28 de dez [ ... ]

Leia Mais
Mais Notícias
  • Almoço de confraternização, na APL.
  • No Natal, o nosso paganismo