Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

O mar, o porto, o livro e o autor Damião Ramos Cavalcanti

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

A vida moldou em Fernando Aquino Freire um conjunto de ideias, competência, habilidades, estilo ou uma sóbria maneira de ver, julgar e, assim, escrever a realidade com facilidade e beleza. Tudo começou quando sua mãe Iolanda levou o seu berço, aos seus dois anos, da Capital ao então distrito de Cabedelo; comparando-se os tamanhos dos lugares, é como se fosse transferir a morada do mar para o porto. Roland Barthes, em Crítica e Verdade, ao se perguntar quem escreve, responde "que a palavra é um poder e que entre a corporação e a classe social, um grupo de homens se define razoavelmente bem pelo seguinte: ele detém, em diversos graus, a linguagem da nação". A nação de Fernando Freire é sua vida em João Pessoa, Itabaiana e, sobretudo, em Cabedelo, lugar que ele adotou como sendo cidade da sua origem. Também, enquanto bancário, o autor percorreu o país do sul ao norte, informatizando as agências do histórico Banco do Brasil. Como ele próprio se diz passageiro, memorizou esses caminhos e agora resgata valores e costumes dessas cidades: "Em João Pessoa, inocente: Perdido nas ruas de sinais verdes; prisioneiro nas esquinas de sinais vermelhos. Veículos como carros e carros de guerra, convidando-me à paz de armas baixadas; no final do pesadelo, bandeiras hasteadas; choros , sorrisos e lágrimas. Em Cabedelo, irreverente: Nas sãs arruaças da praça, nas ruínas da Fortaleza, nas areias da praia; na corrente do rio, nos frios navios, nos cais do porto, porta de vai e vem de riquezas alheias e da caça à baleia; na estação de trem, vagões cheios de gente humilde, vazios de outros bens; no Grupo Escolar Pedro Américo, onde riscou na pedra as primeiras letras; no Colégio Imaculada Conceição, onde o discípulo se fez voluntário mestre; no telégrafo da ferrovia - onde foi, sem salário, aprendiz, depois escriturário" (...) E assim ele finaliza seu perfil: "Nomeado bancário, quando se viam nas ruas sinais verdes de odiento levante, mandou-se para as terras de Sivuca, onde aprendeu letras musicais, e mais: Abelardo, Jurema, José Lins do Rego, Damião Ramos Cavalcanti e tantos mais intelectuais de renome, que me convidaram a cantar das primeiras sílabas do bê-á-bá à literatura do Engenho Corredor de Pilar". Verifiquei que falou sobre as cidades onde mais vivi e que tanto amei, falou de mim, tornou-se amigo; precisaria mais o que? Então comecei a me encontrar, procurando-me na sua palavra, na sua linguagem, com outras ressonâncias; uma delas foi a de encontrá-lo, um Fernando filho de ferroviário e de lavadeira; de irmãs costureiras, portuário, pescador, telegrafista, professor e bancário, e, enfim, até modestamente chamando-se de "escrevinhador". Não, nas suas palavras há muito sentimento e, consequentemente, merecimento em seus poemas e em suas crônicas; ainda usando as definições de Barthes, ele assume todos os graus, de "escrevente", de "escritor".
Por onde passou, as circunstâncias formaram sua identidade: Um homem sensível, justo, paciente, mas revoltado diante de tantas injustiças acometidas contra nosso povo, contra sua gente; bondoso, ao ser sovina em economizar um tijolo, uma telha para, acometido pela generosidade, doar uma casa... Como em todos nós, alguns poucos e efêmeros defeitos demonstrou, mas observa-se, nos seus escritos e na sua fala, amadurecimento; com os anos, aparecem ressonâncias do que aprendeu com a vida, como é o caso de ter recebido também energia da força literária; sim, a literatura tem muitas funções e uma delas é ressonar, ressoar os que os outros tem e são de bom em comparação com as nossas possíveis benéficas semelhanças... É o que li neste livro em que ele me dá a honra de prefaciá-lo e no qual tudo isso se observa. Altimar Pimentel me ensinou existirem muitos valores culturais na nossa cidade portuária: Ciranda, Nau Catarineta, Lapinha, Pastoril, Coco de Roda, enfim, rico folclore e religiosidade pregada pelos sermões e catecismo do Padre Alfredo; tudo isso Fernando relembra como se estivesse ainda com isso convivendo. Nessa cidade, no meio da sua gente, dentro do povo se movimentando, dançando, cantando, o autor caminha como fosse uma câmara cinematográfica, recordando seus primeiros passos de criança, jovem e adulto, tendo sua vida como roteiro e escolhendo, com a ajuda da claquete, cenas bem encadeadas com lógica e arte. O autor nos induz à ideia de que o mito é como uma sereia negra, mas tem cauda prateada, numa adversativa que, sociologicamente, solta recriminações às discriminações sociais à pele brasileira. E continua que, também, a cidade, onde existem graças e desgraças, cantadas e recitadas pelos poetas, é abençoada pelos céus.
O ir e vir entre as cidades se fazia pelas estradas, pelo rio, pelo mar e até pelo ar, onde e quando Fernando também compreendeu as andanças da pobreza dentro desses transportes; do personagem "seu Marinho, homem solitário, que vivia em piores situações". Tanto o apito do trem, como suas rodas nos trilhos, na sequência dos dormentes, estão simbolicamente presentes apresentando nas figuras dos passageiros, as injustiças sociais, enquanto consequências das violências materiais e simbólicas, existentes em qualquer cais, em qualquer porto. De tudo isso, observam-se grandezas, como o menino Leo admirando Dona Joaquina, "mulher forte e de coração brilhante que ajudava os que lhe estendiam a mão". Percebe-se, na alma do escritor, usar outro nome e outros nomes para seus familiares e amigos, transferindo-se, ele próprio, às páginas do seu livro "Em Cabedelo, numa casquinha de noz", em que escreve sua linguagem poética, como refletisse sentado na areia, à beira mar, deixando-se sujar pela areia e molhar-se pelas ondas: "O mar sereno é uma beleza ilusória; o tom maior de sua formosura são a força e a bravura que ele oculta". Seu livro é uma bem construída obra, sobretudo, saliento, de e sobre si mesmo; mesmo considerando o verso de outro poeta com igual nome, Fernando Pessoa, in Cancioneiro: " Dizem que finjo ou minto/ Tudo que escrevo./ Não./ Eu simplesmente sinto/ Com a imaginação./ Não uso o coração./ Tudo o que sonho ou passo,/ O que me falha ou finda,/ É como que um terraço/ Sobre outra coisa ainda./ Essa coisa é que é linda./ Por isso escrevo em meio/ Do que não está ao pé,/ Livre do meu enleio,/ Sério do que não é,/ Sentir, sinta quem lê! ".

Damião Ramos Cavalcanti

Add comment


Security code
Refresh

Sessão Comemorativa do Bicentenário da Revolução d...
20 Out 2017 16:32

A Academia Paraibana de Letras, o Centro de Estudos Jurídicos e Sociais e o Grupo José Honório Rodrigues convidam Vossa Excelência e família para a Sessão Comemorativa do Bicentenário da Revo [ ... ]

Leia Mais
Visita dirigida aos alunos dos 6 anos do Ensino Fu...
17 Out 2017 01:58Visita dirigida aos alunos dos 6 anos do Ensino Fundamental 2 do Colégio GEO Tambaú a APL

Visita dirigida aos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental 2 do Colégio GEO Tambaú a APL.

Leia Mais
Lançamento do livro Seis homenagens
17 Out 2017 01:23

O Conselho Diretor e os sócios efetivos da Academia Paraibana de Letras convidam V. Exa. e família para o lançamento do livro Seis homenagens, um agradecimento em memória dos escritores, artistas  [ ... ]

Leia Mais
Arma contra arma
12 Out 2017 21:59

O maior ataque a tiros da história dos Estados Unidos, que matou por matar tantas vidas, tem sido noticiário maior do que as costumeiras notícias das trágicas violências quotidianas, no nosso m [ ... ]

Leia Mais
No deserto, desejos, amor e sofrimento
05 Out 2017 21:57

Por falta de distribuição ao lado mais ocidental, pouco usufruímos da importante beleza que o cinema russo produz; houve bloqueio como se fosse consequência do macarthismo ou resultado da "guer [ ... ]

Leia Mais
Walter Correia Brito
28 Set 2017 19:08

Logo no limiar da vida, Walter Brito foi levado, por seus pais Arthur Correia de Brito e Maria Augusta de Lucena Brito, de Itabaiana, sua terra natal, à Campina Grande, cidade em que morou toda a vid [ ... ]

Leia Mais
Visita dos alunos da Escola Estadual de Ensino Fun...
27 Set 2017 14:55Visita dos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Professor Cardoso

Visita dos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Professor Cardoso,acompanhado da professora Maria do Socorro Barbosa Teixeira, na manhã do dia 26 de setembro. Os alunos foram recepcionados [ ... ]

Leia Mais
Lançamento do livro "Folha Corrida"
27 Set 2017 11:59Lançamento do livro

Foi lançado com grande estilo o livro "Folha Corrida", do poeta Sérgio de Castro Pinto, na Academia Paraibana de Letaras, em dia de casa cheia. Um momento singular de música e poesia.  [ ... ]

Leia Mais
O mar, o porto, o livro e o autor Damião Ramos Cav...
22 Set 2017 14:34

A vida moldou em Fernando Aquino Freire um conjunto de ideias, competência, habilidades, estilo ou uma sóbria maneira de ver, julgar e, assim, escrever a realidade com facilidade e beleza. Tudo c [ ... ]

Leia Mais
APL nas redes sociais
22 Set 2017 14:21APL nas redes sociais

Assembleia PB marcando presença na solenidade de 76 anos da APL.

Leia Mais
APL no seu aniversário de 76 anos
22 Set 2017 14:06APL no seu aniversário de 76 anos

Academia Paraibana de Letras no seu aniversário de 76 anos.

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: O Cidadão Ilu...
21 Set 2017 18:00Cineclube Verbo & Imagem apresenta:  O Cidadão Ilustre

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá O Cidadão Ilustre com comentários de Ana Adelaide Peixoto. Direção: Mariano Cohn, Gastón [ ... ]

Leia Mais
Inauguração da sede da Academia Sul-Mato-Grossense...
21 Set 2017 17:52Inauguração da sede da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras

Confira a matéria da inauguração da sede da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras.

Leia Mais
Casa que é Museu
17 Set 2017 11:32

Um museu-casa tem significativa identidade, personifica uma história completa e fascinante de quem foi seu ilustre habitante; é morada de mulheres e homens, que eticamente examinaram, para serem [ ... ]

Leia Mais
O diário secreto de Osias Gomes
13 Set 2017 12:53O diário secreto de Osias Gomes

O diário secreto de Osias Gomes: A morte anunciada de João Pessoa. Dia 21 de setembro, às 19h, no sindicato dos Bancários.

Leia Mais
Folha Corrida
13 Set 2017 12:42Folha Corrida

Em nome do acadêmico Sérgio de Castro Pinto estamos publicando o convite para o lançamento de Folha corrida, dia 22 de setembro, às 19, na APL.

Leia Mais
LANÇAMENTO DO LIVRO "GENTE DE TAIPU"
13 Set 2017 12:38LANÇAMENTO DO LIVRO

É NESTA QUINTA, 14: LANÇAMENTO DO LIVRO "GENTE DE TAIPU" (dois volumes) DO PESQUISADOR E ESCRITOR BANDEIRA LINS, NA PROGRAMAÇÃO DOS 76 ANOS DA ACADEMIA PARAIBANA DE LETRAS, ÀS 18 HORAS  [ ... ]

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:23APL na Imprensa

Chico Viana reedita livro e mira na APL.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:22APL na Imprensa

A busca da contemporaneidade.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:21APL na Imprensa

Luiz Crispim e a Academia.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:21APL na Imprensa

APL homenageia o centenário de nascimento do ex-ministro.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:18APL na Imprensa

Presidente da APL é reeleito para mandato de dois anos.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 12:17APL na Imprensa

Ministro participa de lançamento na APL.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 02:14

Florescimento de Academia na Paraíba.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 02:13APL na Imprensa

APL completa 75 anos

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 02:12APL na Imprensa

APL cria programa de estudo de semiárido.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 02:11APL na Imprensa

História da APL-PB é contada em livro.

Leia Mais
APL na Imprensa
13 Set 2017 02:10APL na Imprensa

Fátima Bezerra toma posse em setembro.

Leia Mais
APL na Imprensa
12 Set 2017 23:23APL na Imprensa

A APL recorda Jurema.

Leia Mais
Confundem-se independência e dependência
10 Set 2017 11:26

As primeiras escolas me faziam estar bem fardado e cantar os hinos da pátria: Nacional, da Independência e da Bandeira. Foi assim quando se iniciou em mim a ideia do que fosse o “sete de setembro [ ... ]

Leia Mais
Dom José beija nossa terra
02 Set 2017 19:45

Conhecido como Dom Pelé, por ser um dos poucos bispos negros no Brasil, também assim apelidado por Dom Távora por ser um "goleador" de excelentes ideias na CNBB, o Arcebispo Emérito da Para [ ... ]

Leia Mais
Septuagésimo Sexto Aniversário da APL
31 Ago 2017 16:42Septuagésimo Sexto Aniversário da APL

A Academia Paraibana de Letras convida Vossa Excelência e família para a Sessão Solene do seu Septuagésimo Sexto Aniversário, na qual haverá o lançamento do livro Gente do Taipu, do Dr. Carlo [ ... ]

Leia Mais
Um Ministro suspeito e as águas em Boqueirão
29 Ago 2017 01:46

   
            Um, não. Dois: Um em dois tribunais...  Até a Alta Corte sabe disso e de que perseguir ou proteger não é próprio de quem julga... Juiz deve não ser amigo do réu, ne [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: A grande Belez...
20 Ago 2017 19:20

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá A Grande Beleza com comentários de Renato Félix. Direção: Paolo Sorrentino 31 de agosto (úl [ ... ]

Leia Mais
A velocidade da linguagem troglodita
17 Ago 2017 20:03


          Chegar a Marte, longe planeta análogo à Terra, demanda sobretudo velocidade que ora traz seus bens, ora, seus males. Prefiro o movimento, a ação, a animação, a energia à inércia [ ... ]

Leia Mais
Das paternidades de Virginius
14 Ago 2017 12:05


           A Academia Paraibana de Letras, antes de completar  seus 76 anos no dia 14 de setembro de 2017, arruma mais ainda sua bela casa "em taipa real"  e  já festeja  outros motiv [ ... ]

Leia Mais
Existir mais do que viver ?
07 Ago 2017 22:51


          Amigos e amigas andam indo embora sem se despedirem da gente, como é o caso , dias atrás, da amada Goretti  Zenaide, apressada para escrever a festa de Ronaldo Mendonça na mais [ ... ]

Leia Mais
Academia Paraibana de Letras homenageia Virgínius ...
07 Ago 2017 22:37

Com o tema geral “Tributo ao Menestral”, a Academia Paraibana de Letras realizará uma sessão solene de homenagem ao escritor paraibano Virgínius da Gama e Melo, na próxima quinta-feira (10/8), [ ... ]

Leia Mais
Ronaldo Nunes Mendonça
01 Ago 2017 20:04

             O amigo Ronaldo, que se dizia meu primo por causa dos Nunes de "seu" Nen, casado com minha tia Zefinha, e assíduo leitor das minhas crônicas, depois de fazer o check-in , ines [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: Lanternas Verm...
26 Jul 2017 06:17

A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá Lanternas Vermelhas com comentários da Mestra em Direitos Humanos Thamara Duarte.  Direção: Z [ ... ]

Leia Mais
Sonhar um sonho
22 Jul 2017 22:46


          Ensinaram-me, desde criança, a história de José do Egito interpretando o sonho do Faraó, avisando-lhe tempos de vacas gordas, tempos de vacas magras. E assim aprendi que sonhos [ ... ]

Leia Mais
Mais cínicos do que demagogos
11 Jul 2017 03:53

     
          A demagogia, dentre seus significados, sofreu uma grande variação de sentidos como a democracia; aliás ambas têm a mesma raiz do grego: Demos ou o povo. Demagog [ ... ]

Leia Mais
Mi Buenos Aires querido
01 Jul 2017 03:52

   
          Antes de um plano, de um livro, de um poema ou de um tango, nasceu a cidade, num longo parto, conturbado por atropelos e lutas dos nativos contra os espanhóis que invadiram a [ ... ]

Leia Mais
Cineclube Verbo & Imagem apresenta: A última estaç...
29 Jun 2017 10:17Cineclube Verbo & Imagem apresenta: A última estação

  A Academia Paraibana de Letras apresenta em sessão gratuita o cineclube Verbo e Imagem, que exibirá A Última Estação com comentários da Professora Ana Adelaide Peixoto.   Direção: Mic [ ... ]

Leia Mais
Ricardo nos leva à Finlândia
28 Jun 2017 03:50

                 Cansados de escutar "somente a educação dá jeito ao Brasil", concluímos: Uma coisa é o discurso, outra, a prática... Há injustiças,  violências, crimes, péssi [ ... ]

Leia Mais
A música de São João
15 Jun 2017 18:00

          O santo não tem música, mas a festa do santo, sim. Somente divide com a de Santo Antonio, de véspera, e, dias após, com a Festa de São Pedro, nesses festejos, comidas de milho e  [ ... ]

Leia Mais
Almas poliglotas
15 Jun 2017 17:58

          Quando as almas errantes saem à noite, falam mais holandês em Recife do que em João Pessoa. O confrade da APL, Odilon Ribeiro Coutinho, disse-me que confidenciou ao seu amigo Gilbert [ ... ]

Leia Mais
Juventude no "Homem de Areia"
05 Jun 2017 15:32

            A Fundação Casa de José Américo criou, a modelo do "Verbo & Imagem" da Academia Paraibana de Letras, o Cineclube "O Homem de Areia", homenageando primeiramente José Améric [ ... ]

Leia Mais
Mais Notícias
  • Tributo Cultural In Memoriam
  • O garfo, a colher, o meio e o fim