Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 21 - (PATRONO) MAXIMIANO MACHADO

MAXIMIANO Lopes MACHADO : Nasceu no dia 07 de agosto de 1821, na capital do Estado da Paraíba e faleceu em Recife, a 11 de fevereiro de 1895; filho de Manuel Lopes Machado e D. Joaquina de Albuquerque Machado. Iniciou os estudos num convento do Recife , formando-se em Direito pela Faculdade de Olinda, exercendo, a seguir, a Promotoria Pública desta cidade. Em 1847, foi nomeado Juiz Municipal e Delegado da cidade de Areia; no ano seguinte, aderiu à Rebelião Praieira, movimento revolucionário liderado por Nunes Machado, que morreu em combate. Ferido, Maximiano refugiou-se no Engenho Pureza, onde foi preso e transportado para a cidade do Recife. Mais tarde, foi anistiado e mudou-se para Campina Grande, reiniciando as suas atividades. Exerceu a advocacia e ingressou na política, elegendo-se Deputado Provincial. Transferiu-se, depois, para Recife, dedicando-se ao magistério.

Maximiano Lopes Machado foi professor, jornalista, político e advogado. Todavia, destacou-se como historiador. Coube a ele o mérito de escrever a primeira História daProvíncia da Paraíba, fundamentada em documentos estudados e pesquisados criteriosamente e, inteligentemente interpretados, dando a sua obra um caráter científico, abrindo, assim, o caminho para novos pesquisadores. Durante o tempo em que esteve foragido, dedicou-se a novas pesquisas sobre a história da Paraíba e escreveu, também: A história da Revolução Praieira; A Paraíba e o Atlas do Dr. Cândido Mendes e Carta Geográfica da Paraíba.

Maximiano Machado era membro do Instituto Arqueológico Pernambucano.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ANDRADE, José Lopes de. Discurso de posse, In: Revista da APL, nº 05, 1949.

BITTENCOURT, Liberato. Homens do Brasil, vol. II Parahyba (Paraibanos ilustres); Rio de Janeiro: 1914.