Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 23 - (2º SUCESSOR) ABERLADO JUREMA

ABERLADO de Araújo JUREMA: Nasceu em 14 de fevereiro de 1915, na cidade de Itabaiana, Estado da Paraíba; filho do casal Dr. Geminiano Jurema Filho e D. Amália de Araújo Jurema; casou-se com D. Maria Evanise Pessoa, tendo nascido, dessa união, os filhos: Maria Amália, Oswaldo Geminiano, Maria Elizabeth, Nara Maria, Maria Evanise, Maria Rosalinda, Abelardo Filho e João Luís. Faleceu em João Pessoa, no dia.09 de fevereiro de 1999. Estudou no Colégio São José, de D. Marieta Medeiros, em Itabaiana, transferindo-se, depois, para o Colégio Nossa Senhora do Carmo e, em seguida, para o Colégio Oswaldo Cruz, em Recife, onde concluiu a sua escolaridade. Em1937, bacharelou-se em Direito pela Faculdade do Recife. Escrevia no jornal da Faculdade, já demonstrando sua vocação literária; escreveu no Diário de Pernambuco, no Diário da Tarde e no Jornal do Comércio. Em João Pessoa, foi redator de A União, sob a direção de Orris Barbosa, ao mesmo tempo, gerenciava o escritório comercial da fábrica de cigarros Estrela do Norte, de propriedade do seu avô, local que, também, usava para receber intelectuais e outras figuras de destaque da sociedade paraibana. É difícil enumerar as funções exercidas pelo imortal, citamos algumas: Prefeito de João Pessoa, interino, em 1937; Diretor do Departamento de Estatística e Publicidade; Procurador Adjunto da República; Diretor da Rádio Tabajara; Professor de Literatura do Lyceu Paraibano; Diretor do Departamento de Educação; Secretário de Educação e Saúde. Enveredando na política partidária, foi eleito Deputado Federal, tendo sido líder do Governo, escolhido pelo Presidente Juscelino. Foi, ainda, Ministro do Interior e Justiça. No Governo João Goulart, foi exonerado do cargo de Ministro e obrigado a exilar-se no Peru, por conta do movimento revolucionário de 1964. Retornou ao Brasil, em 1970, fixando-se no Rio de Janeiro, trabalhando no Escritório de Representação da Paraíba. No Rio, ele teve participação ativa na Federalização da UFPB, na construção de Brasília e na criação dos Estados do Acre e da Guanabara. Era membro do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano; recebeu o título de Professor Honoris Causa da UFPB. Assumiu a Cadeira nº 23 da APL, em 14 de janeiro de 1982, saudado pelo acadêmico Luiz Augusto Crispim. Publicou: 102 dias no Senado; Sexta-feira 13; Os últimos dias do Governo João Goulart; Entre os Andes e a revolução; Juscelino & Jango; PSD&PTB; Exílio; De Itabaiana à imortalidade; Presença da Paraíba no Brasil.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ARQUIVO DA APL.

CANTALICE, Mariana Soares. Discurso de posse. In: Revista da APL, nº 15. João Pessoa: 2000.

LEITÃO.Deusdedit. O ensino público na Paraíba – síntese histórica da Secretaria de Educação. João Pessoa: 1987.