Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 24 - (PATRONO) PEDRO AMÉRICO

PEDRO AMÉRICO Figueiredo Mello : Nasceu na cidade de Areia, Estado da Paraíba, em 29 de abril de 1843 e faleceu na cidade italiana de Florença, no dia 07 de outubro de 1905; foi sepultado em João Pessoa, em abril do ano seguinte. Era filho de Daniel Eduardo de Figueiredo Mello e D. Feliciana Cirne de Figueiredo; casado com D. Carlota , filha do pintor e poeta Manuel de Araújo Porto Alegre. Estudou em Areia, tendo sido aluno do latinista Joaquim da Silva. Originário de uma família de aristas, Pedro Américo herdou dos seus ascendentes o gosto pelas artes, sendo dotado de um extraordinário talento.; quando criança, estudou música com o avô, integrava o coral da igreja e já desenhava retratos e paisagens . A figura de um galo, desenhada na parede do estabelecimento do seu pai, despertou a curiosidade do desenhista alemão Bindsel, que visitava a cidade com um grupo de cientistas liderados pelo naturalista Jacques Brunet .O desenhista admirou-se com a firmeza dos traços e a riqueza de detalhes do desenho e, sabendo da situação financeira da criança, apelou às autoridades para que ajudassem àquela criança a desenvolver o seu talento, conseguindo meios , através do Governo Geral, para que ele pudesse freqüentar uma escola. No final de 1854, Pedro Américo seguiu para o Rio de Janeiro, protegido pelo Governo Imperial , a fim de matricular-se no Colégio D. Pedro II, onde fez os preparatórios e ingressou na Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro, sendo considerado pelo diretor “a glória da Academia”. Com o fim de aperfeiçoar-se, embarcou para a Europa. Em Paris, estudou na Academia de Belas Artes, no Instituto de Física de M. Ganot e na Sorbone.Conheceu os maiores centros culturais do mundo; na Europa, ele foi muito prestigiado, teve a sua arte reconhecida. Era doutor em Ciências Naturais pela Universidade de Bruxelas, tendo sido professor adjunto desta Universidade. . Antes de ir ao Velho Mundo, lecionou na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e Deputado Geral pela Paraíba. Recebeu as honrarias de Grão Cavaleiro da Ordem Romana do Santo Sepulcro e Cavaleiro da Coroa da Alemanha ; pertencia a várias associações culturais. Além de pintor, foi romancista, poeta, orador, cultor da Filosofia e da Ciência, mas, consagrou-se como pintor. Seus quadros mais conhecidos: O grito do Ipiranga; A Batalha do Avaí; A Batalha de Campo Grande; O consertador de bandolim; A rabequista árabe; O passo da pátria; Tiradentes esquartejado; David e Absag; Judith e Holofernes; Jacob e Moisés; O voto de Heloísa; A primeira culpa; O noviciado; Mater dolorosa;; A mulher de Putifar; Joana D’Arc; Cristo menino; Cristo diante de Pilatos; Cristo morto; Cristo ressuscitado; Paz e concórdia; Honra e pátria; A noite com os gênios do amor e do estudo.

Retratos: Araújo Porto Alegre; D. Carlota; Conde D’Eu; Inez de Castro; D. João VI; D. Pedro II e D. Pedro I.

Paisagens: A cascata; Uma rua no Tânger; Paisagem árabe; Paisagem de aspecto africano.

Romances: O holocausto; Na cidade eterna e O foragido.

 

Literatura:La reforme de l’Academie de Beaux-Arts; La science et les systemes; Hypothese relativa à causa do phenomeno chamado luz zodiacal.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ALMEIDA, Horácio de. Pedro Américo-notícias bibliográficas, João Pessoa: 1982.

BITTENCOURT, Liberato. Homens do Brasil, vol. II, Parahyba, Rio de Janeiro, 1914.

RIBEIRO, Domingos. Pedro Américo e a música. João Pessoa: 1982.

VASCONCELOS, Amaury. Pedro Américo-gênio não só na pintura. João Pessoa: 1982.