Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 24 - (1º SUCESSOR) JOSÉ JOFFILY BEZERRA DE MELO

JOSÉ JOFFILY Bezerra de Mello : Nasceu em Campina Grande, Estado da Paraíba, em 25 de março de 1914 ; filho de Antônio Bezerra de Mello e D. Maria Joffily Bezerra de Mello. Estudou em João Pessoa, no Colégio Pio X e no Lyceu Paraibano; ingressou na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, transferindo-se, depois, para a Escola do Recife, bacharelando-se em 1938. Muito jovem, já atuava nos movimentos políticos , participava dos comícios da Aliança Liberal, movimento criado em 1929 apoiado pelos governos de Minas, Rio Grande do Sul e da Paraíba, que pretendiam assegurar as candidaturas de Getúlio Vargas e João Pessoa para Presidente e Vice-Presidente da República. Levavam ao povo a proposta de uma anistia política e o voto secreto. Pelas idéias socialistas, foi preso em 1935, recolhido a uma penitenciária do Rio de Janeiro, posteriormente, transferido para o navio-presídio Pedro I, sendo libertado no ano seguinte, através de um habeas-corpus. Filiado ao PDS, foi eleito Deputado Federal, pela Paraíba, em várias legislaturas (1946/1962). Desligou-se do PDS, filiou-se ao PTB; candidatou-se ao Senado, não se elegendo. Cargos públicos que ele exerceu: Gerente da Caixa Rural e Operária da Paraíba; Assistente Técnico do Departamento de Cooperativismo do Estado da Paraíba.; Promotor Público, em Floresta (PE); Diretor da Penitenciária Agrícola de Itamaracá; Secretário da Agricultura e Obras Públicas, na Paraíba. Representou o Brasil, diversas vezes, em missões de alta responsabilidade no Exterior. Teve os seus direitos políticos cassados por dez anos, através do Ato nº 05 do Comando Supremo da Revolução de 1964, dedicando-se, a partir daí, à empresa privada. Joffily era escritor, jornalista e pesquisador; recebeu várias homenagens, entre estas: Prêmio CLIO, da Academia Paulistana de História pela publicação do livro Revolta e revolução, em 1981; Prêmio CLIO, 1983, pelo livro Entre a monarquia e a república, foi homenageado pelo lançamento do filme Parahyba mulher macho, baseado no livro Anayde Beiriz, 1983; Honra ao Mérito, pela Câmara de Vereadores de Campina Grande; homenagem especial, pela Assembléia Legislativa de João Pessoa, pelo transcurso dos seus 70 anos de idade. Pertencia às entidades: Academia de Letras de Campina Grande, Instituto Histórico e Geográfico Paraibano; Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro, Instituto Histórico , Geográfico e Etnográfico Paranaense, Academia Paulistana de História; Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro; União Brasileira de Escritores (São Paulo); Instituto Histórico e Geográfico do Estado de Santa Catarina e Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.Assumiu a Cadeira na APL, em 25 de novembro de 1983, sendo saudado pelo acadêmico Gláucio Veiga. Escreveu: O caso pantler; A industrialização da Paraíba; O Plano SALTE; Fatos e versões; Distorções e revisões; Revolta e revolução; Anayde Beiriz; Entre a monarquia e a república; Morte na Ulen; Porto político; Londres, londrina; Harry Berger; Aplicação da verba federal de 1.800.000,00 na Paraíba; Teses e conferências; Brasília e o desenvolvimento econômico; Aplicação de capital nos territórios não-autônomos; Problemas de reforma agrária; 15 de novembro-100 anos depois; A sucessão estadual e As responsabilidades do intelectual.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

ALMEIDA, Horácio de: Contribuição para uma bibliografia paraibana. Rio de Janeiro: 1972.

 

 

 

Arquivo da APL.

 

Dicionário histórico biográfico brasileiro, vol. 11, Rio de

 

Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, s/d.

 

Grande enciclopédia delta Larousse, vol. 11, p.341.