Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 25 - (1º SUCESSOR) JOSÉ RAFAEL DE MENEZES

JOSÉ RAFAEL de Menezes : Nasceu em 23 de agosto de 1924, na cidade de Monteiro, Estado da Paraíba; filho de Alcindo Bezerra de Menezes e d. Maria das Dores Rafael de Menezes. Casado com D. Ádila de Paula Menezes, tendo nascido dessa união os filhos: Raíssa, Tereza Julieta, Bruno e Rafael José.

Estudou em Monteiro, na Escola Particular das professoras Tibúrcia Feitosa e Alda Lafayete , freqüentando, depois, o Grupo Escolar Miguel Santa Cruz; transferiu-se para o Recife, continuando os estudos no Colégio Salesiano, Colégio Nóbrega e no Oswaldo Cruz. Tem Curso de Licenciatura e Bacharelado em Geografia e História pela Faculdade de Filosofia Manuel da Nóbrega e Curso de Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade do Recife.

Em 1949, foi nomeado Promotor Público da Comarca de Monteiro, atuando, também, no magistério. Na capital do Estado, lecionou na Universidade Federal, como professor titular das Disciplinas: Didática, Filosofia da Educação e Filosofia da História; na antiga Universidade Autônoma, atual UNIPÊ, foi professor de Sociologia do Desenvolvimento e Psicologia Social. Ainda, em João Pessoa, exerceu as funções: Diretor de Ensino; Auditor da Justiça Militar;Diretor do Departamento Cultural da UFPB; exercendo, também, um mandato de Deputado Estadual.

Fixou-se na capital pernambucana, continuando as atividades docentes em escolas secundárias, de 1944 a 19948, quando ascendeu ao magistério universitário. Lecionou na FAFIRE, UNICAMP, FIESP, Faculdade de Administração e Faculdade de Direito. Representou o Estado de Pernambuco em Congressos, Encontros de Secretários de Educação e, em 1970, foi o representante do I Congresso da Campanha de Escolas da Comunidade, da qual é membro fundador, realizado no Rio de Janeiro; nas principais capitais do Nordeste, ministrou cursos de extensão sobre cinema e vários ramos da Psicologia , Sociologia e da Filosofia. Foi o fundador do Ginásio de Monteiro, a sua cidade natal. Ingressou no jornalismo como cronista de cinema, tendo ensinado nos cursos de jornalismo da Universidade Católica de Recife e no Colégio Nossa senhora de Lourdes, de João Pessoa, onde foi o fundador da cadeira de Teoria do Cinema. Colaborou nos jornais: Jornal do Comércio, Diário de Pernambuco (Recife); O Diário (Belo Horizonte); O Estado de São Paulo e, em João Pessoa, no Correio da Paraíba. Assumiu a sua Cadeira na APL, em 28 de maio de 1956, saudado pelo acadêmico Pe. Manuel Otaviano. Trabalhos e sua autoria: Um homem de bem comum; Cristianismo e socialização; Caminhos do cinema; Linha democrática; Psicologia Social; Conteúdos da Sociologia; Filosofia Social; Sociologia da Administração; Alternâncias; Humanismo recifense; O filosofar em Luís Delgado; Paraibanos na Faculdade de Direito do Recife; O mestre escola-brasileiro; História do Lyceu Paraibano; Humanismo nordestino; Êxodo; A miragem do sul; Política; Reflexões de um professor universitário; Memórias de um pau de arara; Homo nordestinus, vol. I e II; Paraibanos em distinções na Faculdade de Direito; Sociologia do Nordeste; O compromisso cinecista ( reflexões de um fundador); O poder reflexivo de Ascendino Leite; Aproximações da obra estética de Evaldo Coutinho; Vasconcelos Sobrinho: o ecológico místico; Maciel Pinheiro; Três estetas paraibanos; Patriarcas de Alagoa de Monteiro; Perfilados da geração de 45; Filosofia de vida; A geração de 45; Ensaísmo pernambucano;Costa Porto: um trabalhador intelectual; Memórias de um escritor; O idílio recifense de Cecília Aurora; A personalidade intelectual do magistrado; Andrade Bezerra: o erudito gentil; A paixão bibliográfica de Américo de Oliveira Costa; Aníbal Bruno: professor e escritor; Amizades bibliográficas; Joacil Pereira.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Arquivo da Academia Paraibana de Letras.

GUIMARÃES, Luiz Hugo. História da Academia Paraibana de Letras. João Pessoa: A União, 2001.

Jornal Correio da Paraíba. Ed. 14/06/91.