Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 29 - (PATRONO) JOSÉ RODRIGUES DE CARVALHO

José RODRIGUES DE CARVALHO: Nasceu em Alagoinha, Estado da Paraíba, em 18 de dezembro de 1867 e faleceu na capital pernambucana em20 de janeiro de 1935; filho do casal Manuel Rodrigues de Carvalho e D. Cândida Maria de Carvalho. Casado, primeiras núpcias, com D. Francisca Lisboa de Carvalho e, pela segunda vez, com D. Anita Veloso Rodrigues de Carvalho. Começou a vida como caixeiro, em Mamanguape, trabalhando ao lado do tio, ao mesmo tempo em que freqüentava a escola do latinista Manuel de Almeida. Fez o curso de humanidades no Lyceu Paraibano, mudando-se para o Rio Grande do Norte; não se adaptando, porém, àquele Estado, seguiu para Fortaleza, dando um rumo diferente à sua vida. Matriculou-se na Faculdade de Direito e deu início à publicação dos seus poemas. Muito lírico e sentimental, era também um exímio repentista e a adjetivação presente nas suas poesias eram tão expressivas que o tornaram em um poeta de estilo muito peculiar.

Em 1890, juntamente com Castro Pinto, fundou em Mamanguape o Semanário A Comarca e, em 1892, criou na capital do Estado o Grêmio Literário Cardoso Vieira, instituição que veio contribuir bastante na formação intelectual da juventude paraibana daquele tempo. Foi professor, jornalista, jurista e, acima de tudo, poeta, projetando-se nesse gênero a partir da publicação do poema Seios. Escreveu nos jornais A União, Gazeta do Comércio, O Comércio, Estado da Paraíba, República, Jornal Pequeno (Recife) e em A Província do Pará.

Elegeu-se Deputado Estadual, pela Paraíba. Exerceu, ainda os cargos de Procurador e Secretário Geral do Estado; era membro do Instituto Histórico do Ceará; do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano; da Ordem dos Advogados do Rio de Janeiro; da Academia Cearense de Letras e do Instituto Arqueológico de Pernambuco. Escreveu: Recursos extraordinários; Comentário ao código de processo criminal do Estado; Da liberdade de imprensa (tese), Tentativa, cheque visado e lacunas na lei de falências; Subsídios para o dicionário da língua nacional (em elaboração), Monografia sobre a borracha de mangabeira e maniçoba na Paraíba; Aspectos da influência africana na formação social do Brasil; Cancioneiro do Norte; Coração; Prismas; Poesias de maio.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ALMEIDA, Horácio de. Contribuição para uma bibliografia paraibana. Rio de Janeiro: 1972.

Revista da Academia Paraibana de Letras, vol. 1 (discurso de recepção). João Pessoa: 1947.

BITTENCOURT, Liberato. Homens do Brasil, vol. III Parahybanos ilustres. Rio de Janeiro: Gomes Pereira, 1914.

 

CASTRO, Oscar de Oliveira. Vultos da Paraíba; Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1955.

 

OTAVIANO, Pe. Manuel. Revista da Academia Paraibana de Letras, vol. 1,

(discurso de posse), João Pessoa: 1947.

PINTO, Luís. Rodrigues de Carvalho, o jornalista. Rio de Janeiro: Aurora, 1970.

SILVA, Afonso Pereira da. Discurso de Posse. In: Rodrigues de Carvalho. João Pessoa: Imprensa Universitária, 1967.