Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 34 - (FUNDADOR) ALCIDES VIEIRA CARNEIRO

ALCIDES Vieira CARNEIRO: Nasceu na cidade de Princesa Isabel, Estado da Paraíba, em 11 de junho de 1906, teve como padrinho de batismo José Pereira de Lima, chefe da facção que deu origem à Revolução de 1930. Faleceu no Hospital das Clínicas de Brasília, em 22 de maio de 1976 e sepultado no Cemitério São Francisco Xavier, do Rio de Janeiro. Estudou em Princesa com o professor Adriano Feitosa, prosseguindo em Fortaleza, Estado do Ceará, no Instituto São Luiz e no Liceu Cearense. “Aos onze anos viajei ao Ceará, a terra onde vi o mar e conheci o automóvel e a água encanada”. Iniciou o curso de Direito na capital cearense, mas bacharelou-se no Recife, em 1926, aos 20 anos de idade. A partir de 1930, começou a sua escalada como homem público. Antes de transferir-se para o Rio de Janeiro, foi nomeado prefeito de Princesa Isabel, após a morte do Presidente João Pessoa, não chegando a tomar posse no cargo porque o município foi ocupado pelas Forças do Exército, por ordem do Ministro da Guerra. Foi nomeado, então, interventor do município paulista de Itápolis. Outros cargos que exerceu: Inspetor do Ensino Secundário, no Rio de Janeiro; Procurador da República, no Estado de Espírito Santo; Oficial de Gabinete do Ministro da Educação; Consultor Jurídico do Ministério da Educação e Advogado da Polícia Militar, no Rio de Janeiro; Curador de Massas Falidas, no Rio de Janeiro. Exerceu, ainda, as Curadorias de Menores e de Família e Procurador de Justiça. Quando faleceu, era Ministro do Superior Tribunal Militar e Presidente da Campanha Nacional das Escolas da Comunidade.

Incursionei na política, onde os homens me ensinavam os caminhos do inferno e o estilo do diabo. Aprendi depressa, mas depressa enjoei. Ela não é, para senão muito poucos, a arte de trabalhar pelos outros. De qualquer forma, para se vencer politicamente, é preciso enganar muito e mentir outro tanto. No começo há engulhos. Depois o estômago aceita. A natureza é sábia e os homens sabidos”. (Alcides Carneiro). Além de advogado e político, Alcides Carneiro era, acima de tudo, um grande orador, seus discursos sensibilizavam qualquer público. Era também, poeta e trovador. Membro da Academia Carioca de Letras, Delegado da Academia Paraibana de Letras, junto à Federação das Academias Brasileiras de Letras do Brasil. Ingressou na Academia Paraibana de Letras, em 03 de novembro de 1962, recepcionado pelo acadêmico Horácio de Almeida.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ALMEIDA, Horácio de. Pereira da Silva, Cad. 34Discurso de recepção. João Pessoa: 1964.

Discurso de posse, In: Pereira da Silva –Cadeira 34. João Pessoa; APL, 1964.

CARNEIRO, Alcides Ao longo da vida. João Pessoa: UFPB., 1976, 230 p.

LYRA FILHO, João. Cadeira número trinta e quatro. João Pessoa: APL, 1964.

INOJOSA, José. República de Princesa. José Pereira X João Pessoa, 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira INL/MEC, 1980.