Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 34 - (1º SUCESSOR) JOÃO LYRA FILHO

JOÃO LYRA FILHO: Nasceu na capital do Estado da Paraíba, no dia 24 de abril de 1906; filho de João Lyra Tavares e D. Rosa Amélia de Lyra Tavares; faleceu no Rio de Janeiro, em 29 de novembro de 1988, deixando viúva a Senhora Maria Isabel de Lyra Tavares com um filho, o advogado João Lyra Neto. Iniciou os estudos na capital do Estado, no Colégio Diocesano Pio X; em 1918, aos doze anos de idade, acompanhou os pais que se mudaram para o Distrito Federal, ingressando, então, no Aldridge College, transferindo-se, a seguir por questões econômicas, para o Colégio Santa Rosa, em Niterói e no ano seguinte matriculou-se no Colégio Diocesano São José. Posteriormente, aconselhado pelos médicos a mudar de clima, foi internado no Colégio Leopoldinense, em Leopoldina (MG). Lá, ele travou conhecimento com a professora Ester Fialho, viúva de Augusto dos Anjos o que lhe proporcionou maior contato com a obra do poeta, dando início, aí, a sua vida literária Improvisava discursos e escrevia nos jornais. Na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, onde se bacharelou, fundou o Semanário O Inocente, dirigiu a Revista Acadêmica, órgão representativo dos estudantes de todas as escolas superiores, e foi redator literário de A Época, tradicional revista dos alunos da Faculdade de Direito. Colaborou na imprensa carioca, escrevendo em jornais e revistas de grande circulação; lecionou em várias instituições de ensino superior, entre as quais, destacamos: Instituto Lafayete; Escola Técnica Comercial do Instituto Brasileiro de Contabilidade; Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, atual Universidade Estadual do Rio de Janeiro, onde se aposentou.

João Lyra Filho era professor, sociólogo, historiador, orador, escritor, poeta, conferencista, ensaísta, jornalista, memorialista, jurista, financista, economista e desportista. Exerceu os mais altos e variados cargos públicos, alcançando a todos pelos seus próprios méritos.Recebeu menções honrosas e condecorações. Alguns títulos recebidos: Cidadão Carioca; Cidadão Honorário de Juiz de Fora; Cidadão Benemérito do Estado da Guanabara; Membro da Ordem do Infante D. Henrique, de Portugal com a mais alta condecoração; Ordem do Mérito Estácio de Sá; Medalhas: Rio Branco, Roquete Pinto, Anchieta, Sílvio Romero; Professor Honoris Causa da Universidade Federal da Paraíba; Sócio Honorário do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano; pertencia, também, á Academia Carioca de Leras. Ingressou na Academia Paraibana de Letras em 04 de maio de 1977, saudado pelo acadêmico Juarez Batista. A sua produção literária é vastíssima, composta por mais de cem títulos, destacaremos alguns: A lírica de Augusto dos Anjos; Cachimbo, pijama e chinelos; Angústia Social; Sociologia se los desportes; Juventude em transe; Luz íntima (poesia); Monólogo de um transeunte; Raça; Educação e desportos; A habitação popular; Valorização do trabalho e humanização do capital; Meu pai; Juventude; O poder da esperança.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

MONTEIRO. Luiz do Rego.Bibliografia de um paraibano.Rio de Janeiro 1976.

MELLO, Humberto Cavalcanti. Discurso de posse, In: Revista da Academia Paraibana de Letras, nº 11, João Pessoa: 1994.