Buscar

Academicos Atuais

Usuários Online

Nº 38 - (2° SUCESSOR) LUIZ NUNES ALVES

Cadeira nº 38


Patrono: Américo Augusto de Souza Falcão

Fundador: Nelson Lustoza Cabral

Sucessores:

José Cavalcanti

Luiz Nunes Alves

Nasceu no município de água Branca, em 16 de abril de 1934, filho de Antônio Alves da Silva e D. Marta Nunes de Souza; casado com D. Maria Bernadeth Baptista Alves e tem três filhas: Ana Márcia, Márcia Neves e Marta Bernadeth. Fez o curso primário no Grupo Escolar José Nominando, na sua terra natal, o Ginasial, Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho, em Princesa Isabel, e o secundário. No Liceu Paraibano. Bacharelo-se em Direito pela Universidade Federal da Paraíba. Tem curso de aperfeiçoamento em Agente de Crédito Cooperativo, em 1960, em Fortaleza (CE), e curso de assistente Jurídico, em 1969, também em Fortaleza, promovidos pelo Banco do Nordeste do Brasil. Funcionário da Receita Federal; exerceu o cargo de Coletor Federal, em Princesa Isabel, de maio de 1960 a fevereiro de 1962, quando passou a prestar serviços no Banco do Nordeste, em João Pessoa.

Ingressou no serviço público estadual, como Caixa de Crédito Imobiliário da Paraíba(1957/60), foi diretor do Departamento de Crédito Cooperativo (1967/68); Secretário do Planejamento (1970/71). Em 11 de março de 1971, foi empossado no cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, período 1973/75, chegando á Vice-Presidência, no período seguinte, tendo sido eleito Presidente, exercendo a função por mais duas vezes.Participou de Congressos de Tribunais de Contas do Brasil, realizados a partir de 1973, tendo a oportunidade de presidir o 7° Congresso realizado em João Pessoa, no ano de 1975. É professor de Ciências das Finanças e de Direito Financeiro da UFPB. E da UNIPÊ. Eventualmente, ministra aulas na Escola Superior de Magistratura. Amante das letras, escolheu a literatura de cordel como área de estudo, à qual dedica o seu tempo, pesquisando e produzindo trabalhos com muita criatividade e segurança, usando sempre o pseudônimo de Severino Sertanejo. Seus livros têm grande aceitação entre os apreciadores e estudiosos do cordel, tendo recebido elogios de personalidades consagradas no meio intelectual nacional, a exemplo de José Américo de Almeida, Orégenes Lessa, Carlos Drumond de Andrade, Câmara Cascudo, D. José Maria Pires e o jurista Limongi França, de São Paulo, entre outros nomes.É sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, foi agraciado com a Comenda do Mérito Cultural José Maria dos Santos, intitulada pela entidade; sócio do Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica; membro efetivo do Colégio Brasileiro de das Faculdades de Direito; 2° Vice-Presidente da Fundação Rui Barbosa(São Paulo); membro efetivo das Academias Municipais do Brasil, com sede em São Paulo; assumiu a sua Cadeira na Academia Paraibana de Letras, em 20 de julho de 1975, recepcionado pelo acadêmico Flávio Sátiro. Bibliografia: História da Paraíba em verso, prefácio do professor Pedro Nicodemus, editada dentro das comemorações do IV Centenário da Fundação da Paraíba; A vida de Delmiro Gouveia em verso, prefácio do professor Átila de Almeida; Inácio da Catingueira, o gênio escravo, prefácio do médico e poeta Firmino Leite; Copa 94, IPÊ; Coisas da minha sala.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

Memorial do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano, João Pessoa: 1995.

 

Revista da Academia Paraibana de Letras, n° 12: 1997